Os canelones de Libertad

canelone 2Caro amigo, não se trata de una receita política. Acontece que tenho uma amiga em Buenos Aires que nasceu o Dia da Independência Argentina (25 de maio) e seus pais a chamaram, com um patriotismo exagerado, de Libertad Argentina. Mas o que importa mesmo é que “Liber”, entre outras habilidades, e dona de uma mão mágica para as comidas.

Como é uma tradição em nossas visitas à terra de Piazzolla, sempre festejamos o encontro como seus maravilhosos canelones. Sempre escrevo aqui que me é impossível dar a receita exata, por não conhecer os segredos dos artistas. Sei que são de acelga ou espinafre misturados a uma massa cremosa e com um tempero suave. Esse recheio é embrulhado numa “pele” de massa fina, quase transparente, que se desmancha na boca. Por cima, molho de tomate caseiro, claro. Um pouco de queijo parmesão, uma taça de Malbec e pão francês para recuperar o molho que ficou no prato. E você fica ainda mais feliz ao embalo da música da vida.

Por falar em música de Buenos Aires, caso viaje para lá, aproveite os novos “aires” da cidade. Há uma orquestra que interpreta tangos deste século por meninos jovens, chamada “El Afronte”, criada em 2004 e declarada de interesse cultural em 2006, O cantor Marco Bellini com voz potente e a força de seus bandoneons, violinos, além do contrabaixo, piano e violoncelo merecem uma visita.

Apresentam-se aos domingos, segundas e quartas na rua Peru, 571, em San Telmo, num local curioso chamado “Maldita Milonga” (www.elafronte.com.ar), onde há aulas de tango para iniciantes, o show bem tarde, depois das 23h e apresentações de bailarinos convidados depois.

Os canelones de Libertad vocês não vão poder degustar (dizem que em alguns lugares na cidade oferecem parecidos, nunca iguais), mas o novo tango como sobremesa é fundamental.

Tango nas ruas de San Telmo, aos domingos.

Tango en San Telmo

Mercado de San Telmo, Buenos Aires - Argentina

Felix Fassone

Felix Fassone

“Dediquei minha vida ao jornalismo de celebridades, mas com o tempo percebi que ‘célebre’ também pode ser uma delícia num prato ou num copo, e, assim como os famosos, os comes e bebes têm história, presente e futuro. Então, por que não escrever sobre eles no decorrer das minhas viagens por este planeta tão saboroso?”

Comments

comments