Um passeio por Veneza e um aperitivo de bom gosto

Um passeio por Veneza e um aperitivo de bom gostoA cada dois anos, de maio a novembro, Veneza recebe uma constelação de artistas para sua Bienal, que no ano passado realizou a 56ª edição. Como toda expressão da arte, estão os “uns” e os “outros”. Na de 2013, a mostra teve destaques inesquecíveis, como o estande da Rússia ou da Coréia do Sul. Ruim o da Argentina e fantástico o de França, com vídeo de dois pianistas tocando simultaneamente. A última manteve seu nível. Mas o gosto da Bienal está em todos os gostos.

No terceiro dia de caminhadas artísticas, decidimos dar um de turista convencional. Tomamos coragem e fizemos fila para entrar na Basílica di San Marco, na praça que preside essa cidade única. Uma hora de espera. Finalmente conseguimos ver de perto os famosos cavalos roubados pelos venezianos na tomada de Constantinopla, séculos atrás. E ficar de queixo caído com os mosaicos dourados da igreja. Valeu cada minuto na fila.

Veneza é uma cidade única, literalmente. Minha primeira vez lá foi em 2003, depois voltei, voltei e voltei algumas outras vezes, sempre me perdendo e me achando em seus becos e canais. Viajar é descobrir e se encontrar. Numa dessas idas e vindas, fomos tomar um café, perto da Piazza San Marco, aquela que Napoleão disse que é a “mais linda sala de visita da Europa”. De pé, no balcão, 10h30 da matina. E muito antes de o Aperol chegar a estes trópicos. Um veneziano autêntico e elegante pede “o de sempre”.

O garçom, como um malabarista do circo, faz o famoso 3, 2, 1. Em dois minutos. Três partes de prosecco, duas partes de Aperol e uma de água com gás de uma mangueira acoplada a um sifão. Uma azeitona com um palito e meia rodela de laranja como enfeite. Pronto! Mais uma engenhoca do bom gosto italiano para os paladares humanos. Detalhe, a música no barzinho de madeira era de Andrea Boccelli. Era o agora famoso por aqui Spritz, que também pode ser feito com Campari.

Anote a dica: tomando o Spritz depois das 18h, o aperitivo pode vir acompanhado com algumas pequenas gostosuras, como presunto cru, salame e ovos cozidos. Na época, pagamos 5 euros, que valem por 15. Aproveite, caso ande por Veneza, perca (ou ganhe) meia hora de sua vida na companhia um autêntico Spritz, com Aperol ou Campari, olhando as pontes, gôndolas e igrejas lindas. Você vai desfrutar muito mais da arte… e da vida. Salutte!

Felix“Dediquei minha vida ao jornalismo de celebridades, mas com o tempo percebi que ‘célebre’ também pode ser uma delícia num prato ou num copo, e, assim como os famosos, os comes e bebes têm história, presente e futuro. Então, por que não escrever sobre eles no decorrer das minhas viagens por este planeta tão saboroso?”

Felix Fassone

Comments

comments